sexta-feira, 13 de maio de 2011


''Arrependi-me do tempo em que sonhava com o amor,
Arrependi-me de falsas esperanças de sonhos sem importância que só me trouxeram a amargura do desamor,
Olhei-me no espalho e vi minha imagem despedaçada,
Vi minha alma sem esperança,
Vi meus olhos sem vida a procura de vida, me faziam olhar para baixo e desviar dessa imagem tão frustrante,
de um ser que um dia espalhava brilho e magia e hoje me vejo assim,
Entregue a pesadelos profundos, num reduto de desespero e me vejo só,
Pois não há quem possa ajudar-me,
Não quem me queira salvar,
Não há quem entenda o real motivo de tanta dor...''

Um comentário:

O Entender da Magia disse...

C0M0 SEMPRE SUAS P0ESlAS ESTAM LlNDAS AM0R
PARABENS
TE AM0 MlNHA P0RRlNHA